Apesar de que hoje, as redes sociais fazem parte da vida de praticamente todas as pessoas, muitas empresas ainda não usam as redes sociais para divulgar os seus produtos e serviços, ou se utilizam, não aproveitam toda a capacidade que elas possuem para conquistar mais clientes e aumentar suas vendas.

Mas como fazer isso? Postando todo dia? Convidando todos os amigos para curtir a página? Criando aquele post maravilhoso que parece uma obra de arte?

Não é bem por aí… Não que tudo isso não possa ajudar na sua página, mas temos que focar no principal.

Uma campanha estruturada e constante, onde o conteúdo é criado de acordo com o seu público alvo, com um valor patrocinado que atinja um percentual do seu público-alvo, de forma a mostrar a sua empresa para novos possíveis clientes.

E para isso, temos que ponderar diversos fatores:

Alcance Orgânicos x Patrocinados

Para quem não sabe, o alcance orgânico é quando o seu post aparece para as pessoas que curtiram a página. No começo, as postagens apareciam para praticamente todas pessoas que curtiram a página. Mas aos poucos, o Facebook deixou de fazer isso e hoje, estima-se que somente 2% das pessoas que curtiram a página irão ver o seu conteúdo. Isso é um pouco relativo, pois depende das vezes que ela interagiu com a página, visitou, etc. Algo que o algoritmo do Facebook calcula para ver se você realmente quer ver esse conteúdo ou não.

Com isso, os seus posts são vistos cada vez menos pelos seus clientes. Com certeza isso é feito propositalmente pelo Facebook, para forçar as empresas a pagar por anúncios patrocinados.

Por isso, sempre incentivamos os nossos clientes a patrocinar seus anúncios. Por menor que seja o valor, desde que seja bem segmentado, ele irá apresentar um resultado. Caso contrário, na maior parte das vezes, seu post vai aparecer para tão poucas pessoas que nem compensa ter pago para criar o post.

Facebook x Instagram

Cada vez mais ouvimos falar de pessoas que estão deixando de usar o Facebook e usando o Instagram. Sim, existe esse processo de migração, mas o Facebook ainda possui mais usuários que o Instagram. De toda forma, como as duas redes sociais são do mesmo dono (um tal de Zuckerbergh, alguém já ouviu falar? kkk), podemos fazer os anúncios para as dois ao mesmo tempo e, através do gerenciamento dos resultados, ver em qual deles a sua empresa tem mais retorno.

Existem casos e casos e a finalidade das redes sociais e o seu produto pode ser determinante para a sua escolha. O Facebook ainda possui uma forma de exibição mais lenta. O usuário normalmente vê a sua linha do tempo, para em um ou outro post que interesse, e em algumas vezes até para pra ler alguma coisa do texto. Para curtir, ele vai precisar clicar nos ícones e ainda escolher qual o sentimento que ele quer expressar.

Já no Instagram, tudo é mais rápido. A imagem é quem manda. Os usuários vêem as imagens com mais velocidade, instintivamente já dão os 2 toques e curtem as imagens que gostaram, em uma rápida análise (menos de 1 segundo), e já partem para a próxima imagem.

Isso tudo não é uma regra, mas acontece com a maioria dos usuários. No caso do Instagram, quanto mais a pessoa segue, mais imagens irão aparecer no feed, menos tempo ela vai perder com cada postagem.

Por isso é importante analisar os resultados e, através dele, confirmar qual o retorno real de cada investimento. Esse retorno não deve ser medido somente pela quantidade de curtidas e seguidores, mas pelos resultados reais, que podem ser medidos por um aumento de venda ou um aumento do fluxo de clientes, com a veiculação dos anúncios. A procura dos produtos anunciados também irão comprovar a eficiência ou não de cada postagem.

Não misturar a empresa com o particular

Apesar de tudo, esse negócio de rede social ainda é uma coisa nova pra muitos. E por isso, vemos muita coisa errada.

  • Temos empresas que usam uma página pessoal (as que conseguiram fazer o cadastro com o nome da empresa principalmente). Para elas, esse formato de ter os clientes como amigos é melhor do que criar um página da empresa. Se por um lado, isso possa até fazer com que os “amigos” vejam mais o conteúdo da sua página, ele funciona quando todos os clientes realmente são “amigos”. Caso contrário, ou elas não irão “solicitar a amizade” para poder acompanhar a página, ou, quando no caso de elas terem sido convidadas para serem “amigas”, elas não aceitam, e se aceitam, cedo ou tarde acabam bloqueando, devido a falta de controle do acesso ao conteúdo.
  • Mesmo em páginas de empresa, vemos em muitas, postagens pessoais, seja familiar, do time de futebol, algo engraçado, ou até mesmo de natureza política. Apesar desse tipo de postagem até receber “curtidas”, talvez mais que as outras postagens, elas distorcem o objetivo da página e confundem principalmente os usuários que não são clientes e que estão pesquisando sobre a empresa. Isso pode fazer com que achem que a empresa não é tão séria. Não que não devamos usar humor nas campanhas, mas tudo o que for postado na página, precisa ter alguma relação com o produto ou serviço.

Conteúdo é rei

Acho que todo mundo já deve ter ouvido essa frase alguma vez na vida, provavelmente nos últimos anos. Com certeza, tudo depende do público-alvo, por isso é importante fazer um estudo de cada campanha. Mas vemos muitas empresas fazendo postagens “sem sentido”, apenas para ter uma postagem, acreditando que com isso, irão trazer mais seguidores. Talvez o efeito seja até reverso. Ninguém quer ver algo que não interessa. Isso faz com que cada vez mais, as poucas pessoas que ainda recebam o seu conteúdo orgânico deixem de ler o seu post, quando eles aparecem na sua linha do tempo. Acreditem, tanto o Facebook como o Instagram sabe quando você se interessa por um post, só pelo tempo que você ficou com ele parado na tela. Quanto menor o grau de interesse, menor chance do seu post aparecer.

Por isso, sempre recomendamos um equilíbrio entre o conteúdo a ser mostrado e a periodicidade. Se é uma empresa que possui muito conteúdo, muitos lançamentos, muitas promoções, não há problema em fazer até diversas postagens diárias (como por exemplo as Lojas Americanas). Mas se o seu conteúdo é restrito, você precisa restringir as suas postagem até o limite em que tenha um conteúdo relevante para seus seguidores.

Quem não é visto não é lembrado

Hoje, vivemos em um mundo imediatista. Só vale o agora. Como vemos muita coisa a todo tempo, acabamos guardando pouca coisa e esquecendo quase tudo. (alguém discorda?). Com isso, exceto se você for uma Coca-cola ou uma Pe… (como era o nome da outra mesmo? kkkk), sua marca, seus produtos e seus serviços serão esquecidos pela maioria dos seus clientes que não sejam frequentes. E nunca lembrados pelos que não são.

Antigamente, podia se colocar um banner na rua, uma placa, e até mesmo um Outdoor para fazer divulgação. A realidade de hoje é bem diferente. Quem dirige, normalmente não consegue prestar atenção à sua volta e os passageiros, normalmente estão com o celular na mão, vendo as redes sociais.

Por isso, a única forma de fazer sua empresa aparecer para esse novo público (que hoje não tem limite de idade, pois todos estão criando esse péssimo hábito), é fazer a divulgação nas redes sociais.

Conclusão

Espero que tenha conseguido mostrar a importância das redes sociais para qualquer empreendimento. De toda forma, estamos aqui para ajudar a quem precisar. Se tiver alguma dúvida, pode fazer a pergunta nos comentários que irei responder com o maior prazer.